EK

© 2023 by EK. All rights reserved.

  • Facebook Classic
  • w-tbird
  • RSS Classic
 

O que eu entendo por "Feminino"?

Criatividade, intuição, percepção, tempo, cuidados pessoais... respeito do individuo, em sua unicidade. Respeito dos ciclos, da lua, do tempo da Terra, dos sonhos...Da Vida... Espaço para ser se mesm@. Algumas vivências serão abertas a ambos os sexos pois é preciso que homens se apropriem seu feminino e possam também entender nosso jeito peculiar de ser-mulher. Outros momentos serão reservados às mulheres (pessoas que assim se definem, sem nenhum outro critério), pois quando nos reunimos entre nós, se cria mudanças hormonais (entre outro) que permitem acesso a outras esferas de nosso ser. Portanto os eixos são os seguintes:

- Ser-Mulher: Da primeira lua até a menopausa e apos, passamos por ciclos de aprendizagem. O corpo muda assim como os desejos, as percepções. Como cuidar do corpo e da alma, a cada fase da vida? Como (re)valorizar nosso corpo de mulher, nosso Ser-Mulher? Como acolher todas nossas facetas num só corpo, da donzela à anciã, passando pela mãe, amante, feiticeira e tantas outras, a descobrir ou construir!

- Respeito ao ciclo da lua e ao tempo.

- Ecologia profunda, em conexão consciente com o planeta, como filhos e filhas da Terra.

- Intuição e espiritualidade

- Celebração da Vida, união do Feminino e do Masculino.

 

Atividades propostas dentro dessa "formação" : Vejam nossa agenda para os detalhes:  

·         TAROT : O Grande Livro dos Mistérios! “Ler” o Tarot é desvendar um pouco dos labirintos e caminhos que a Alma percorre na sua viagem na Terra. Acessamos aos diferentes planos, espiritual, emocional e físico, graças ás figuras arquetípicas e aos símbolos, aprendendo a confiar na intuição para andar com firmeza!

  • Introdução ao Tarot tradicional ( a partir do percurso iniciático do Tarot de Marselha). Aulas quinzenais durante 3 meses. Nessa iniciação, aprenderemos sobre os arcanos maiores e menores, numerologia, símbolos do caminho iniciático desenhado no tarot de Marselha, fortalecendo nosso poder intuitivo. No Samadhi, na quarta-feira e em Salvador, na Casa Guió nas quintas-feiras. 

  • TAROT DAS MATRIARCAS* : vivência itinerante, trazendo a tona a sabedoria ancestral das Matriarcas, através de dança, meditação e oráculos do mesmo nome, ao som do tambor. O encontro entre mulheres enfoca no resgate da intuição mais do que no conhecimento teórico. Próxima vivência sáb. 07 de Abril das 9h as 17h30 na Casa das Águas da Mãe Preta, Rio Vermelho, Salvador. 

          REIKI: Sentir e transmitir a Energia Universal do Amor. Iniciar-se dentro dessa Energia Cristica é, muitas vezes, uma forma de confiar nos seus dons, permitir-se expressar eles plenamente, sem medo. É lembrar que a maior ferramenta de cura é nossa própria mão. E o Amor. As iniciações são também momentos de grande cura, tanto física que espiritual, limpando a alma de suas feridas antigas e ampliando nossos conhecimentos do Mistério.     

  • REIKI I, Uma iniciação para despertar seu dom de cura, para reconectar-se com a sua intuição profunda. Além da iniciação á Energia universal, passaremos por um ritual de cura na fogueira, curando o curador, liberando o que ainda posso lhe impedir de expressar toda sua Luz Divina. Imersão dias 21/22 de Abril. Detalhes aqui.

ESTUDOS DA LUA NEGRA* : A Lua nova abre a porta dos labirintos interiores, facilitando os acessos ao mundo dos mistérios. Entrar no nosso Ventre é reencontrar a chave dos nossos poderes, pois ao integrar nossa sombra, a nos deparar com os medos, podemos resgatar o verdadeiro poder feminino.

A cada lua nova, um encontro de mulheres estudando a se mesma e partilhando saberes. Meditação com espelho de obsidiana, roda de estudo, plantas, vaporização do útero, etc. Na lua nova: 18h-20h e uma partilha na lua crescente, presencial ou on-line: o Ser que brota. Os temas serão definido no circulo. 

ENCONTROS DA LUA CHEIA: a cada lua cheia, o Samadhi abre suas portas para celebrar o astro noturno, ritualizando outros ciclos e tempos. Fogueira, meditação, dança, cantos e o que mais se apresenta está no programa do encontro. Confere a agenda!

DANÇA: A PRECE MAIS ANTIGA! A dança é exploração dos sentidos, dos sentimentos e do espaço, espaço infinito em mim e espaço onde meu corpo habita assim como a linha tênue que separa um do outro. O ritmo da Vida impulsiona o movimento do corpo e nos faz explorar o infinito que habita em nós. Próximo ateliê: sab. 12 de Maio. “Dançar a Mãe e a Filha.” *

VIVÊNCIAS PARA A FORMAÇÃO DA MULHER

  • TERRA SAGRADA. Encontro com a Mestra Tupinamba Nádia Akauã. Uma imersão para reaprender a honrar nossa ancestralidade, reverenciar nossos corpos, no respeito da Mãe Terra. Dias 2 & 3 de Junho. Mais informações em breve.

  • A SABEDORIA ANCESTRAL DA PLACENTA*: uma vivência sobre os usos tradicionais, curativos e criativos da placenta. Imersão de estudos e cura com Ana Mateoli, Allegra Pitombo e Fanny, dias 13 a 15 de Julho. Informações em breve.

  • *RETIRO DE FORMAÇÃO DE DOULAGEM NA TRADIÇÃO : Uma formação intimista de cura, autoconhecimento, empoderamento feminino, desenvolvimento e ancestralidade. Cuidar de se para saber cuidar da outra. Realizado por: Projeto Acolhendo a Gestação: Mary Galvão, Mahuwá Comunicação: Jaqueline de Almeida e a Escola dos Misterios do Feminino, Fanny Glemarec. Este curso tem apoio e certificação pela UNEB - Universidade do Estado da Bahia. Mais de que uma formação para tornar-se doula, um retiro de cura, com a presença de 2 parteiras excepcionais, Mary Galvao e Dona Val.  Módulo I, 21 à 23 de Setembro .  Módulo II, 19 a 21 de Outubro. Módulos independentes e complementares. Detalhes sob demanda.

*atividade reservada exclusivamente para mulheres.

 

ESCOLA DOS MISTÉRIOS DO FEMININO

"Somos muitas mulheres em uma só.

Somos todas as mulheres.

Somos a voz da terra, da alma, do útero, do profundo do mar.

Somos aquela mulher que não conhecemos.

Somos a mulher que quer conhecer os segredos do feminino essencial." Canto trdicional hopi.

E hora para a humanidade de reintegrar no seu olhar, na sua maneira de fazer, sentir e viver, sua outra metade: o Feminino. Num mundo patriarcal caindo, se levantam as sacerdotisas, as mulheres selvagens, os artistas, as vozes daqueles que ficaram mudos por séculos. Gritam por uma volta ao mundo do sentir, do sonhar, do intuir. Espaço fertil onde reconectamos com a Terra e seus ciclos, com a vitalidade organica do movimento livre, ao Feminino que em nós vive, sejamos homens ou mulheres, para a grande união , para o Ser integro, pleno, novamente reunido. 

 

As culturas tantricas e celticas, com origens remotas comuns, eram matriarcais, cultuando a Deusa, como fonte da Vida.  Se reverenciava as mulheres e seus poderes, a Natureza, as energias sutis, integrando p Masculino como polo oposto em igualdade. Para voltar ao ser pleno, o Samadhi Yogashala oferece varias práticas, eventos e ateliers em relação ao Sagrado Feminino.